Artigos

Você sabia que: Os Transtornos Alimentares têm Causas Multifatoriais?

É comum as pessoas quererem achar um “culpado”, algo que explique o surgimento da doença. Porém, o transtorno alimentar é resultado da interação entre vários fatores, o que comprova a complexidade dos casos. Há fatores classificados como predisponentes, desencadeadores e mantenedores. A cultura e o meio social, através da mídia, são facilmente identificados a partir dos padrões de beleza, nos quais são cultuadas as formas magras e definidas de um corpo perfeitamente surreal e extremamente desejado por quem quer que seja.

Por fator predisponente, entende-se as influências biológicas, genéticas e psicológicas do indivíduo. Já os fatores desencadeadores (ou precipitantes) são compreendidos como o ambiente no qual o individuo se desenvolve, ou seja, seu meio social, cultural e familiar. Alguns exemplos seria decidir fazer uma dieta restritiva, vivenciar uma crise familiar ou um luto. Para os fatores mantenedores, têm-se como exemplos as manutenções das relações familiares somadas às contribuições dos bombardeios de ideais de perfeição corporal dos veículos publicitários (forma de expressão cultural da atualidade).

Fontes:
CORDÁS, Taki A. Quando o medo de ficar gordo vira doença: anorexia e bulimia. In: Fome de cão: quando o medo de ficar gordo vira doença: anorexia, bulimia, obesidade. São Paulo: Maltese, 1993, p. 17-27.

GORGATI, Soraia B. Corpos descarnados: um histórico da anorexia. Psychiatry on-line Brasil. vol 4, n 6, 1999.

CORDÁS, Taki A.; SALZANO, Fabio T. Aspectos gerais dos transtornos alimentares: características, critérios, diagnósticos, epidemiologia e etiologia. In: ALVARENGA, Marle; SCAGLIUSI, Fernanda B.; PHILIPPI, Sonia T. (org.). Nutrição de transtornos alimentares. Barueri, SP: Manole, 2011, p. 3-15.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *